Copel terá que devolver R$ 12 milhões à CDE para restituir valor de carvão mineral

Natália Bezutti

Autor

Natália Bezutti

Publicado

03/Mai/2021 14:30 BRT

A Copel terá que devolver R$ 11.945.271 à Conta de Desenvolvimentos Energético (CDE) para restituição de valores de carvão mineral reembolsados e não consumidos associados à termelétrica Figueira (20 MW), e de R$ 86.040, referente ao combustível secundário da usina.

A térmica está inativa em razão de obras para implantação de uma nova unidade geradora de 20 MW e a desativação das duas unidades geradoras em operação, com previsão de retorno em julho 2021. Conforme decisão de 2019 da Aneel, o seria realizado após a conclusão das obras de modernização.

Dessa forma, foi excluído do orçamento de 2021 o montante de carvão equivalente aos meses de janeiro a junho de 2021, que deverá ser recolhido pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

1.230 – Dá provimento parcial à solicitação da UEG Araucária Ltda. de modo a autorizar que o Operador Nacional do Sistema Elétrico - ONS, para fins de planejamento e programação da operação eletroenergética do SIN, e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica - CCEE, para fins de contabilização, utilizem recursos da forma descrita neste Despacho.

CVU

A Aneel deu provimento à solicitação da UEG Araucária para autorizar que o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), utilizem nos dias 1º e 2 de maio de 2021, o Custo Variável Unitário (CVU) da UTE Araucária, no valor de R$ 700,72/MWh, e entre 3 de maio de 2021 e 30 de abril de 2022, o mesmo valor, considerando a parcela de custo fixo de R$ 236,14/MWh, para um montante de geração necessária à recuperação de custos, de 584.796 MWh.