Conta de luz é o segmento menos negociado no Desenrola, com R$ 143 milhões

Natália Bezutti

Autor

Natália Bezutti

Publicado

07/Dez/2023 12:04 BRT

O programa Desenrola Brasil contabilizou 10,7 milhões de brasileiros atendidos e um valor de R$ 29 bilhões em dívidas renegociadas, desde o seu lançamento, em julho deste ano. A fase 2 do programa, aberta em outubro, envolvendo a renegociação de dívidas bancárias e não bancárias (como contas de luz, água, varejo e educação), contou com descontos de até 98,6% do valor originalmente devido.

De acordo com o Censo do Desenrola, os setores que lideraram o ranking de renegociações na fase 2 foram Serviços Financeiros, com R$ 3,3 bilhões de dívidas negociadas; Securitizadoras, com R$ 513 milhões e Conta de luz, com R$ 143 milhões.

No caso das contas de energia elétrica, mais de 82 mil pessoas foram beneficiadas e o valor original da dívida desses consumidores caiu de R$ 143 milhões para R$ 52 milhões (ou seja, redução de quase 64%).

Do total de 5.571 municípios com público elegível à fase 2 do programa, foram realizadas renegociações em 5.491 localidades (98,6%).

Outros dados da fase 2 do Desenrola

O Censo do Desenrola mostra também que o ticket médio da renegociação foi de R$ 248 nos pagamentos à vista e de R$ 791, quando a opção foi por pagamento parcelado. A média dos descontos foi de 90% para os pagamentos à vista e de 85% para as quitações parceladas.

A média dos juros, no caso de parcelamento, foi de 1,8% mensal, com média de 11 parcelas. Nos pagamentos à vista, a maioria dos consumidores (75%) optou por pagamento por meio de Pix. Nos pagamentos parcelados, 91% optaram pelo boleto.

Ampliação do programa

O secretário de Reformas Econômicas do Ministério da Fazenda, Marcos Barbosa Pinto, anunciou que o governo vai ampliar prazo de vigência do programa, além de facilitar o acesso à Plataforma de Renegociação do Desenrola, permitindo que cidadãos com conta nível Bronze também possam aderir.

“O cidadão precisa hoje ter o certificado Prata ou Ouro do governo, pois a própria lei do Desenrola exige isso. Vamos enviar uma Medida Provisória ao Congresso, eliminando esse requisito”, explicou o secretário. A mesma MP vai estender o prazo de vigência do programa, que terminaria no final deste ano. “Queremos estender o Desenrola por mais alguns meses, para beneficiar toda a população”, disse Marcos Pinto.