Comitiva da Aneel vai a Porto Alegre acompanhar “de perto” medidas de distribuidoras

Natália Bezutti

Autor

Natália Bezutti

Publicado

23/Jan/2024 13:09 BRT

Uma comitiva com representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) viaja amanhã, 24 de janeiro, para Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, para acompanharas medidas para restabelecimento do fornecimento de energia pelas concessionárias RGE Sul e CEEE Equatorial, após uma semana da tempestade que deixou, em seu pico, 1,3 milhão de consumidores de energia.

Segundo boletim divulgado nesta terça-feira, 23 de janeiro, às 8h, pelo governo do estado, 6.941 consumidores seguem sem energia.

“O deslocamento é para acompanhar de perto as tratativas e providências tomadas pelas distribuidoras que atendem o estado do Rio Grande do Sul, em especial, quanto as orientações da agência reguladora do estado e da superintendência de fiscalização dos eventos técnicos da Aneel. Foi um evento de grandes proporções envolvidas e a exemplo de outras partes do país. Estamos sofrendo eventos climáticos sérios”, disse o diretor-geral na abertura da primeira reunião de diretoria da Aneel nesta terça.

>>> Com 23 mil ainda sem energia no RS, Leite quer se reunir com Aneel e distribuidoras

Participam da delegação o diretor-geral, Sandoval Feitosa; o superintendente e a gerente-executiva de Fiscalização Técnica dos Serviços de Energia, Giácomo Bassi e Jaqueline Godoy; o superintendente de Mediação Administrativa, Ouvidoria Setorial e Participação Pública, André Ruelli; além da equipe da assessoria de diretoria da agência.

Segundo Sandoval Feitosa, a agência busca, neste momento, junto aos estados, prefeituras e governo federal, a integração total para o enfretamento das adversidades climáticas, seja no estabelecimento de novos protocolos, ações emergenciais e preparação regulatória para os novos desafios climáticos.

Entre os destaques da agenda regulatória para o biênio 2024/2025, e aprovada no final do ano passado, Feitosa apontou o seu “alicerce” na transição energética e justamente os impactos nas discussões das mudanças climáticas e inovações tecnológicas necessárias para o setor de energia.

“Estou certo de que daremos o nosso melhor e esses desafios serão superados mais uma vez com o comprometimento da incansável e capacitada equipe da Aneel, o trabalho integrado da diretoria colegiada, o diálogo continuo com os consumidores de energia, o Ministério de Minas e Energia, o Congresso Nacional e os diversos segmentos do setor. Energia é o que não vai faltar e mãos a obra”, completou o diretor-geral.

Leilões de transmissão e expansão da geração

Sandoval Feitosa ainda destacou a realização do leilão de transmissão de dezembro, com investimentos previstos de R$ 21 bilhões em mais de 4 mil km de linhas de transmissão, bem como do certame marcado para março deste ano, que deverá reunir R$ 18 bilhões em investimentos em mais de 6 mil km de linhas de transmissão.

Juntos, os leilões têm a expectativa de gerar 70 mil empregos diretos e indiretos para o país nos próximos meses.

Reafirmando o compromisso da agência com a transição energética, o diretor-geral ainda o crescimento da expansão das fontes renováveis de energia na matriz elétrica, representando mais de 80%, e o recorde de 2023, com um incremento de 10,3 GW de capacidade instalada no ano.

>>> País fecha 2023 com 199 GW de potência instalada; em dezembro, expansão foi de 1,91 GW