Distribuidoras terão que aperfeiçoar detecção de eventos severos, redução de danos e comunicação

MegaWhat

Autor

MegaWhat

Publicado

01/Dez/2023 13:12 BRT

Categoria

Distribuição

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estabeleceu uma série de ações para enfrentamento de eventos climáticos severos, que têm causado danos às redes de distribuição de energia. As medidas foram discutidas nesta quinta-feira, 30 de novembro.

Uma das primeiras medidas do protocolo é o aprimoramento das ferramentas de detecção de eventos climáticos extremos a partir do cruzamento das bases de dados com alertas meteorológicos, incluindo, mas não se limitando, a sistemas de previsão internos das distribuidoras, alertas emitidos pelas defesas civis Estaduais e municipais, além de institutos e consultorias especializadas em meteorologia, buscando definir o nível de severidade dos eventos climáticos previstos.

A partir disso, a ação seguinte é instituir canal de comunicação direta com prefeituras, governos estaduais e suas respectivas defesas civis para a articulação de medidas necessárias à minimização dos impactos dos eventos climáticos, bem como comunicação do acompanhamento de seus efeitos e coordenação dos esforços de recomposição do serviço de energia elétrica (Salas de Crise).

Com relação ao manejo vegetal, as distribuidoras deverão coordenar ações com os entes públicos envolvidos para a correta gestão da arborização e o manejo vegetal em áreas com maior potencial de dano ao serviço de distribuição quando da ocorrência de eventos climáticos de elevada severidade.

As distribuidoras também irão atualizar seus planos de contingência adaptando as atividades de previsão, preparação e atuação em eventos climáticos.

Os planos devem definir o nível de severidade dos eventos, graus de atuação e de mobilização de equipes, remanejamento de equipes que usualmente executam outras atividades, ampliação dos canais de comunicação com entes públicos e consumidores, articulação e coordenação de ações com entes públicos, atualização do cadastro das cargas prioritárias a serem reestabelecidas, dentre outros.

Também foram discutidas medidas para ampliação dos canais de comunicação com os consumidores incluindo, mas não se limitando, ao remanejamento de equipes internas, ampliação dos canais digitais e disponibilização de informação ativa do evento dentro das plataformas de comunicação da distribuidora, informando áreas que tiveram o serviço de energia elétrica interrompido e a previsão de restabelecimento.

Além disso, em razão da recorrência cada vez maior de eventos dessa natureza, foi discutida uma agenda de médio prazo que busca discutir melhores práticas, com o objetivo de retroalimentar o processo de regulação para maior precisão na detecção de eventos climáticos de elevada severidade; aperfeiçoamento dos planos de prevenção e redução de danos, e com comunicação eficiente com consumidores, Aneel e entes públicos.

Enel SP 

Área de concessão muito afetada em novembro, com 2,1 milhões de clientes que tiveram o fornecimento interrompido após eventos climáticos mais severos, e que duraram até cinco dias para alguns clientes, apresentou um plano para consumidores cadastrados no programa Tarifa Social e eletrodependentes.

Esses consumidores, que ficaram sem energia por 48 horas ou mais, terão isenção do pagamento de três contas de luz. Caso esses clientes possuam débitos anteriores com a distribuidora, até três contas em atraso serão abonadas em substituição à isenção.