Brasil e Arábia formarão grupo para atrair US$ 10 bi em diversas áreas, incluindo energia

Poliana Souto

Autor

Poliana Souto

Publicado

28/Nov/2023 13:28 BRT

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, se reuniu nesta terça-feira, 28 de novembro, com o primeiro-ministro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman Al Saud, para discutir possibilidades de investimentos sauditas no Brasil e o aumentado do comércio entre os países. Após o encontro, que aconteceu em Riad, capital da Arábia Saudita, o ministro da Casa Civil, Rui Costa, informou que o governo federal e a Arábia Saudita vão constituir um grupo de trabalho ministerial para alavancar a aplicação de US$ 10 bilhões em investimentos do país árabe no Brasil.

“Acabamos de chegar de uma reunião com um fundo estatal de investimentos, que coordena outros seis fundos de investimentos aqui. Eles já anunciaram, desde o encontro do presidente Lula com o príncipe herdeiro [e primeiro-ministro], Mohammad bin Salman, o desejo de investir esse montante no Brasil e estamos criando um grupo de trabalho de ministros, tanto do governo brasileiro quanto saudita, para materializar esses investimentos”, explicou Rui Costa.

Segundo o ministro, o investimento será destinado a diversos setores, que vão desde a área de energia, passando pelas renováveis, à área de segurança alimentar e produção de alimentos.

Antes da COP

Esta é a primeira parada do mandatário brasileiro em sua visita ao Oriente Médio, para reuniões com os chefes de estado e com empresários sauditas, antes de embarcar para Dubai, nos Emirados Árabes, onde participa da 28ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP 28), entre os dias 30 de novembro e 12 de dezembro.

Em publicação na rede social X (antigo Twitter), Lula afirmou que apresentará projetos de investimento no Brasil para aumentar as relações comerciais e as parcerias entre os países nos setores de energia, agricultura e na indústria. Além de falar sobre os projetos do Novo PAC em infraestrutura.

“A caminho de Riade, capital da Arábia Saudita, para uma série de agendas de interesse nacional. Abertura de mercados e atração de investimentos, principalmente em energia renovável”, disse o presidente em uma das publicações da rede.

Antes da chegada de Lula, os ministros da Casa Civil, Rui Costa, e de Minas e Energia, Alexandre Silveira, foram à Riad para preparar a sua agenda. Segundo informe da Casa civil, os ministros tiveram encontros para falarem, entre outros assuntos, sobre o financiamento da transição enérgica, por meio da ampliação da produção de energia eólica e da solar fotovoltaica no Brasil.

Uma reunião também foi realizada por Costa e Silveira com o primeiro-ministro da Arábia Saudita e teve participação de representantes da petroquímica saudita Sabic.

COP

Por sua vez, o ministro de Minas e Energia destacou a participação do Brasil na COP, onde o governo brasileiro vai aproveitar a ocasião para promover as "grandes potencialidades" do país em fontes renováveis, por meio dos biocombustíveis, do hidrogênio e das fontes eólicas e solar.

"Estamos indo para a COP para protagonizar a transição energética justa e inclusiva e queremos defender que ela seja obrigatória, como disse o Papa Francisco, para que possamos proteger o planeta e gerar oportunidades de emprego e renda, combater a desigualdade e fazer a inclusão social", declarou.