Preço da eólica offshore será menor que o da GD, diz Prumo

Maria Clara Machado

Autor

Maria Clara Machado

Publicado

21/Jun/2023 17:36 BRT

Uma das maiores bases de apoio às operações do pré-sal no Brasil, o Porto do Açu tem estrutura bastante competitiva para as operações de usinas eólicas offshore no Brasil. Esta é a percepção de Rogério Zampronha, CEO da Prumo, controladora do Porto do Açu. O executivo participou do ESG Energy Forum, evento promovido pelo Instituto Brasileiro do Petróleo e do Gás (IBP) nesta quarta-feira, 21 de junho, no Rio.

Entre os fatores para esta competitividade do empreendimento estão a proximidade com um dos principais clusters de projetos eólicos offshore no país, no Rio de Janeiro, e o nível de dragagem dos canais do Porto do Açu, suficiente para receber navios de grande porte necessários à operação das eólicas em alto-mar. Segundo o executivo, nas eólicas offshore cerca de 40% do custo de produção está relacionado à logística, montante equivalente ao custo das turbinas.

Entrar

Digite as informações abaixo para acessar sua conta.




Não possui conta?

Cadastre-se agora! Receba a "MegaNews", um resumo diário do mercado de energia, com a agenda das autoridades e dos principais eventos do dia, além do podcast que te acompanha todas as manhãs.