Imposto sobre exportação e venda de ativos da Petrobras levam oscilação para ações da 3R

Poliana Souto

Autor

Poliana Souto

Publicado

03/Mar/2023 17:35 BRT

Categoria

Empresas

A 3R Petroleum foi questionada pela B3 sobre os motivos para as oscilações das suas ações entre 14 de fevereiro e 1° de março. No período, as ações da petroleira chegaram a registrar queda de 10,46%.

Em comunicado, a companhia explicou que as variações decorrem da discussão e decisão do governo federal em aplicar um imposto sobre a exportação de petróleo cru e também do pedido do Ministério de Minas e Energia (MME) para a Petrobras suspender o processo de venda de ativos.

No entanto, a empresa entende que a taxação não trará efeito para o seu negócio, uma vez que toda sua produção é vendida ao mercado interno brasileiro.

Da mesma forma, a petroleira afirmou que não corre risco de ter suas negociações paralisadas com a Petrobras, visto que assinou um contrato para aquisição do polo Potiguar em janeiro de 2022.

“Em atendimento ao requerido, a companhia e/ ou seus administradores não possuem qualquer informação, ato ou fato relevante, não divulgada ao mercado, que possa ter dado causa às referidas oscilações”, completou a 3R.

Relacionadas:

3R Petroleum registra alta de 23,5% na produção de janeiro. 

3R Petroleum anuncia novo diretor-presidente. 

Sudene aprova incentivo fiscal para ativos da 3R Petroleum. 

Prio vai avaliar ações para imposto de exportação de petróleo cru. 

Volta de tributos federais sobre combustíveis deve abranger toda cadeia de petróleo, defende IBP.