Afluência no Sul deve ficar acima da média histórica em setembro, estima ONS

Poliana Souto

Autor

Poliana Souto

Publicado

18/Set/2023 11:58 BRT

A revisão semanal do boletim do Programa Mensal de Operação (PMO), com as projeções do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) para a semana de 16 a 22 de setembro, aponta que as estimativas para a Energia Natural Afluente (ENA) devem ficar abaixo da média histórica para os subsistemas Sudeste/Centro-Oeste, Nordeste e Norte e acima da média histórica para a região Sul.

Com a Média de Longo Termo (MLT) em 114%, o subsistema do Sul deve apresentar elevação nas temperaturas na próxima semana em relação ao comportamento observado anteriormente. O ONS estima que o mesmo cenário será visto Sudeste/Centro-Oeste, que devem alcançar 87% da MLT. 

Para os subsistemas Nordeste e Norte não são esperadas variações significativas em relação ao cenário meteorológico observado ao longo das últimas semanas. Desta forma, o Operador projeta MLT em 70% para Norte e em 69% para o Nordeste. 

Armazenamento de energia 

Em relação aos níveis de Energia Armazenada (EAR), o ONS espera níveis acima de 70% em três submercados, o que representa estabilidade ante as primeiras revisões para o mês corrente. 

Próximo do fim do período tipicamente seco, o Sul é a região com maior previsão de EAR, podendo chegar aos 86,3%. As demais projeções são: Norte (77%), Sudeste/Centro-Oeste (71,8%) e Nordeste (68%).

Previsão de Carga 

Para o SIN, é esperado crescimento de 5,2% (74.756 MW médios). Entre os subsistemas, o Norte deve registrar o maior avanço, com 10% (7.667 MW médios), seguido pelo Sudeste/Centro-Oeste com 5,8% (42.625 MW médios), pelo Nordeste com 2,9% (12.203 MW médios) e, por fim, pelo Sul com 2,5% (12.261 MW médios).  

Os percentuais comparam os resultados para o final de setembro de 2023, ante período homólogo. 

O Custo Marginal de Operação (CMO) está zerado em todos os subsistemas ao longo de todo o ano de 2023 e, segundo o Operador, deve se repetir até o final de setembro. 

Já o despacho térmico foi declarado sobre para a inflexibilidade da usina, sendo que a está prevista a geração de 4.378 MW médios.

Importação de energia 

De acordo com o Operador, para esta semana operativa, não foram declaradas oferta de importação de energia da Argentina para o SIN através das conversoras de Garabi I (1.100 MW) e Garabi II (1.100 MW).