Engie avalia aquisição de ativos da CEEE-GT

Rodrigo Polito

Autor

Rodrigo Polito

Publicado

12/Fev/2021 15:18 BRT

Categoria

Geração

A Engie Brasil Energia (EBE) analisa a oportunidade de adquirir ativos de geração e transmissão da Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica (CEEE-GT), mas uma eventual proposta dependerá da modelagem do negócio, afirmou o diretor-presidente da companhia, Eduardo Sattamini, nesta sexta-feira, 12 de fevereiro.

“Estamos olhando o processo, mas vai depender da formatação e do momento”, disse o executivo, em teleconferência com analistas e investidores sobre o resultado da companhia no quarto trimestre e no ano de 2020

No ano passado, o Ministério de Minas e Energia estabeleceu o valor mínimo de R$ 1,4 bilhão para a prorrogação dos contratos de concessão de 13 usinas da CEEE-GT, em um total de 920 megawatts (MW) de capacidade instalada. Conforme decreto publicado em 2018, a prorrogação desses contratos poderá ser feita por meio da privatização desses ativos.

Durante o encontro virtual, Sattamini também contou que a companhia deverá colocar em operação entre maio e junho uma parte do projeto de transmissão de Gralha Azul, de 1,1 mil km, no Paraná. A operação plena do empreendimento deve ocorrer em setembro deste ano.

No fim do ano passado, a EBE obteve decisão favorável do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que suspendeu liminar que impedia a continuidade da obra.

“Continuamos considerando o prazo de setembro de 2021 como factível. Esperamos, sim, já ao fim de maio, junho, ter uma parte desse complexo de linhas já gerando receita”, afirmou Sattamini, acrescentando que o empreendimento está 75% concluído.

Com relação ao reconhecimento de R$ 967,7 milhões, decorrente da repactuação do risco hidrológico, no resultado do quarto trimestre, o diretor Financeiro da EBE, Marcelo Malta, explicou que a companhia considerou seus cálculos internos sobre o tema, cujos números são muito parecidos com os valores preliminares divulgados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

“Temos elevada segurança de que nossos números ficarão próximos dos números da Aneel. Inclusive foi essa segurança que nos fez reconhecer esses números [no resultado]”, explicou Malta.