Consórcio com Cymi e Brookfield leva Lote 1 em leilão de transmissão, com deságio de 47,34%

Publicado

30/Jun/2022 13:53 BRT

O Consórcio Verde, composto pela Cimy e por um fundo da canadense Brookfield, arrematou o Lote 1 do leilão de transmissão dessa quinta-feira, ao oferecer uma receita anual permitida (RAP) de R$ 283,3 milhões, deságio de 47,34% em relação ao teto estabelecido pelo edital, de R$ 538 milhões. 

Houve disputa no pregão viva-voz entre a Cteep e o Consórcio Verde. Após 15 rodadas, o consórcio saiu vencedor.

Também fizeram propostas para o Lote 1 os proponentes Cemig (deságio de 43,09%), Celeo Redes (-18,31%), Sterlite (-21,11%), Consórcio Olympus XII, formado por Mercury, Equatorial e Alupar (-16,36%), Neoenergia (-11%) e EDP Brasil (-29,07%).

O projeto envolve 1.269 km em linhas de transmissão entre Minas Gerais e São Paulo e 1.350 MVA em capacidade de transformação, a fim de aumentar a capacidade de escoamento da geração do Norte de Minas Gerais.  A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estima que serão necessários investimentos da ordem de R$ 3,6 bilhões.

O empreendimento terá prazo de 60 meses para entrar em operação, e as obras devem criar 7.363 empregos.

No total, o certame vai contar com 13 lotes e deve envolver R$ 15,3 bilhões em investimentos. Serão licitados 5.425 km em linhas de transmissão e 6.180 MVA de capacidade de transformação.

Os empreendimentos deverão entrar em operação comercial no prazo de 42 a 60 meses, e estão localizados em 13 estados: Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Rondônia.

A receita anual permitida (RAP) dos projetos é de cerca de R$ 2,2 bilhões. Vencerão os proponentes que oferecerem maior deságio em relação à receita máxima estabelecida para cada lote pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).