Presidentes do G7 e do G20, Itália e Brasil, devem fortalecer relações para transição verde, diz cônsul – Edição do Dia

Thereza Martins

Autor

Thereza Martins

Publicado

16/Jan/2024 10:41 BRT

Categoria

MegaExpresso

Em entrevista exclusiva à Agência EPBR, o cônsul da Itália em São Paulo, Domenico Fornara, disse que o ano de 2024 deve ser crucial para a relação Brasil-Itália em assuntos que incluem a transição energética e investimentos em infraestrutura renovável, com ambos os países presidindo, respectivamente, o G20 e o G7.

O ano também marca os 150 anos da primeira imigração vinda da Itália ao Brasil, que hoje conta com cerca de mil companhias de origem italiana. “Os dois grupos têm muitas agendas sobrepostas, que necessitarão de uma forte cooperação. E certamente a transição energética será um tema muito importante para ambos os grupos”, disse Fornara. Segundo ele, além das discussões em blocos, também haverá a possibilidade de acordos bilaterais entre Brasil e Itália no tema da transição verde.

Investidores da Shell unem-se a grupo de ativistas que pede maior corte nas emissões de carbono

Fundos que administram mais de US$ 4 trilhões em ativos uniram forças com o grupo ativista climático Follow This para intensificar a pressão sobre a Shell Plc para que reduza suas emissões de gases de efeito estufa.

O grupo, que inclui a maior gestora de ativos da Europa, a Amundi SA, apresentará uma resolução de acionistas para pressionar a Shell a se alinhar com o Acordo Climático de Paris, de acordo com um comunicado divulgado ontem (15/1). Esse é um passo além do que os investidores deram em anos anteriores, quando votaram em apoio às resoluções apresentadas pela Follow This. (Valor Econômico – com informações da agência Bloomberg)

Projeções do ONS indicam precipitação inferior à média histórica no Norte, Nordeste e no Sudeste/Centro-Oeste

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) apresentou, durante a primeira reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) de 2024, realizada na semana passada, os resultados da operação eletroenergética referentes a dezembro de 2023 e as previsões consolidadas para o final de junho de 2024. As demandas de carga e potência serão atendidas nos próximos meses, seja nos cenários hidrológicos inferiores ou superiores.

A previsão de janeiro a março para o Brasil é de enfraquecimento do El Niño, com precipitação entre normal e acima da média para a Região Sul e entre normal e abaixo da média para a Região Norte, porém com maior incerteza. A previsão de diminuição de nebulosidade, intensificação de ventos alísios e ondas de calor mais frequentes são características típicas de El Niño. (Fonte: ONS) 

Lula reconhece divergência em tarifa de Itaipu e vai visitar o Paraguai para discutir o impasse

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou ontem (15/1) que pretende ir ao Paraguai para mais uma rodada de negociações com o presidente paraguaio, Santiago Peña, e tratar do impasse entre Brasil e Paraguai em torno da tarifa cobrada pela energia da usina hidrelétrica Itaipu Binacional.

Enquanto o Paraguai insiste no aumento da tarifa, o Brasil quer reduzir, ou manter o preço pago pela energia. Após reunião com Peña, Lula reconheceu a divergência e garantiu que "chegará a um consenso" com o governo paraguaio. (O Globo)

Haddad volta de férias e acompanha Lula em reunião com Santiago Peña

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, retornou ontem (15/1) das férias. De acordo com a agenda divulgada pela assessoria do ministro, às 11h, ele iria acompanhar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em reunião com o presidente do Paraguai, Santiago Peña. Um dos temas da conversa seria a usina hidrelétrica de Itaipu. (Correio Braziliense/Agência Estado)

S&P reitera nota de crédito da Petrobras e faz avaliação negativa de administração e governança

A S&P Global Ratings reiterou a nota de crédito da Petrobras em “BB” e “brAAA”, com perspectiva estável, limitados pela nota soberana do Brasil, após avaliação sob novos critérios de administração e governança.

Os analistas Luísa Vilhena, Flávia Bedran e Luciano Gremone escrevem que a avaliação de administração e governança da Petrobras é moderadamente negativa e incorpora certos pontos fracos que pesam em sua qualidade de crédito.

“Isto resulta de algumas preocupações sobre a eficácia e a capacidade do conselho de proteger os interesses de todos os stakeholders da empresa”, afirma a agência de classificação de riscos. (Valor Econômico)

S&P eleva nota de crédito nacional da 3R Petroleum de ‘brA’ para ‘brA+’, com perspectiva estável

A S&P Global Ratings elevou a nota de crédito nacional da 3R Petroleum de ‘brA’ para ‘brA+’, mantendo perspectiva estável. As analistas Fabiana Gobbi e Luísa Vilhena escrevem que a nova nota reflete a expectativa de menor alavancagem e aumento gradual da produção nos próximos dois anos.

A empresa deve alcançar produção de 50 mil barris de óleo equivalente por dia em 2024, resultado do plano de revitalização dos campos adquiridos. Os investimentos vão reduzir custos de extração, aumentando geração de caixa operacional. (Valor Econômico)

PPSA tem arrecadação recorde com venda de petróleo

A Pré-Sal Petróleo (PPSA) arrecadou R$ 6,02 bilhões em 2023 com a venda de petróleo e gás natural. O valor recorde é 28% superior aos R$ 4,71 bilhões registrados em 2022. O crescimento foi impulsionado pelo aumento da produção nos contratos de partilha do pré-sal e também dos preços do petróleo no mercado internacional.

Ao longo do último ano, a empresa entrou 33 cargas de petróleo da União – 11 a mais que o ano anterior –, o que totalizou 16,32 milhões de barris. Deste total, 22 cargas foram provenientes do Campo de Mero, duas de Tupi, quatro de Búzios, duas de Entorno de Sapinhoá, duas de Atapu e uma de Sépia. (Agência EPBR)

Mais de 100 mil clientes ficaram sem luz no RS devido ao temporal de domingo

Um forte temporal atingiu o Rio Grande do Sul no domingo à tarde, deixando mais de 100 mil unidades sem energia elétrica, segundo a CEEE Equatorial. A interrupção afetou principalmente as regiões metropolitana e litoral, além de municípios da região carbonífera. (portal Terra)

Superintendência do Cade aprova operação entre Enauta e QatarEnergy

A Superintendência Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou sem restrições o ato de concentração entre a Enauta Petróleo e Gás Ltda e a QatarEnergy Brasil Ltda.

Segundo o parecer do Cade, a operação consiste na aquisição, pela Enauta, da participação de 23% atualmente detida pela QatarEnergy no contrato de concessão celebrado entre a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a Shell Brasil Petróleo Ltda. e a ONGC Campos Ltda. (ONGC Campos), para a exploração, desenvolvimento e produção de hidrocarbonetos no Bloco BC-10.

Ainda de acordo com informações disponibilizadas pelo Cade, a operação do Bloco BC-10 continuará sendo feita pela Shell. (Agência Estado)

PANORAMA DA MÍDIA

O Globo: Obras atrasadas ou suspensas ampliam impacto das chuvas no Rio. Ao longo dos anos, projetos anunciados como solução definitiva para os flagelos trazidos pelas chuvas de verão consomem recursos federais, estaduais e municipais com resultados, no mínimo, questionáveis. No mais recente capítulo desta tragédia, a forte chuva que caiu na Região Metropolitana do Rio entre a noite de sábado e a madrugada de domingo deixou 12 mortos.

**

Valor Econômico: Arrecadação dos estados tem queda e situação fiscal volta a preocupar. A arrecadação tributária dos Estados caiu no ano passado em relação a 2022 e a 2019, período pré-pandemia e primeiro ano de mandato dos governadores anteriores. A queda ocorreu apesar do ganho considerado extraordinário em 2021 e parte de 2022.

**

O Estado de S. Paulo: TCE vê indícios de irregularidade em 88% das cidades paulistas. Alertas emitidos pelo Tribunal de Contas do Estado no final de 2023 apontam que 567 dos 644 municípios de SP apresentaram indícios de irregularidades na gestão orçamentária e precisam de providências para ajustar o caixa público e evitar problemas fiscais. Os avisos apontam para os gestores sobre falta de investimento regular em saúde e educação, gastos excessivos, arrecadação abaixo do previsto e necessidade de ajuste fiscal. Um dos principais problemas é a despesa superar em 95% a receita corrente.

**

Folha de S. Paulo: Estatal das emendas sob Lula beira o auge de Bolsonaro. O governo Lula (PT) manteve o uso da estatal Codevasf como um emendoduto para que deputados e senadores possam despejar em seus redutos políticos milhares de metros de asfaltamento, caminhões, máquinas pesadas, tratores e equipamentos neste ano de eleições municipais.