Comgás fecha contrato com a Shell e diversifica portfólio em 2024 – Edição do Dia

Thereza Martins

Autor

Thereza Martins

Publicado

19/Jan/2024 10:26 BRT

Categoria

MegaExpresso

Reportagem da Agência EPBR destaca que a Comgás deu mais um passo na diversificação de seu portfólio de suprimento de gás natural, ao fechar em dezembro um contrato de fornecimento com a Shell. O acordo prevê o fornecimento de 500 mil m3/dia – o equivalente a quase 4% do volume total contratado pela distribuidora.

Assim, a concessionária de gás canalizado de São Paulo entra em 2024 com um pouco mais de um quarto de seu volume de gás contratado com empresas fora do universo Petrobras, ainda de acordo com a reportagem. Até o fim do ano passado, a petroleira brasileira era a única fornecedora do gás da distribuidora, controlada pela Compass, do grupo Cosan. A Comgás é a maior compradora de gás do mercado brasileiro, com 13,125 milhões de m3/dia sob contrato em 2024.

Ministro defende “reestruturação” do setor elétrico e diz que não pretende subsídio para baratear luz

O governo brasileiro não planeja oferecer subsídios para o setor elétrico para baratear a conta de luz dos consumidores em um momento que enfrenta dificuldades de orçamento, afirmou o ministro das Minas e Energia, Alexandre Silveira. Ele concedeu entrevista exclusiva ao jornal O Estado de S. Paulo durante o Encontro Anual do Fórum Econômico Mundial, em Davos, Suíça. "Eu sou um crítico dos subsídios que foram dados ao setor elétrico nos últimos anos", disse.

Silveira explicou que, devido à transição energética no país, com a entrada de novas matrizes, "cada um puxou a colcha para o seu lado, inclusive o setor elétrico, e aí virou uma colcha de retalhos, causando distorção tarifária". Ele defende uma "reestruturação do setor elétrico" para que o país avance na transição energética sem aumentar os subsídios nas contas de energia. "Seremos rigorosos na questão de novos subsídios", afirmou. "Só poderemos dar novos subsídios quando eles forem extremamente imprescindíveis à transição energética e para isso temos que sentar à mesa de forma transparente com o Ministério da Fazenda e com a sociedade civil."

615 clientes da Copel já possuem medidores inteligentes

A Copel fechou o ano de 2023 com 615 mil domicílios com medidores inteligentes instalados. O programa Rede Elétrica Inteligente, como é chamado este conjunto de soluções, já está presente em 81 municípios paranaenses.

O investimento previsto para as primeiras fases do programa, cobrindo todo o sul do Paraná, é de aproximadamente R$ 820 milhões. Ao longo de 2024, mais 400 mil domicílios devem receber o novo medidor da Copel. Os novos dispositivos tornam automática a leitura do consumo, informam diretamente o centro de controle da Copel sobre falhas de energia e permitem comandos remotos para restabelecer o fornecimento de energia em caso de desligamentos, otimizando a administração dos serviços de eletricidade. (Canal Energia)

Cemig pretende investir R$ 35,6 bilhões até 2028

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) planeja investir R$ 35,6 bilhões entre 2024 e 2028, segundo estimativas divulgadas ontem (18/1), informa o Valor Econômico. Desse montante, R$ 23 bilhões serão destinados à distribuição, R$ 2,1 bilhões à geração e R$ 3,8 bilhões à transmissão.

Também serão destinados R$ 3,3 bilhões à divisão de Geração e Distribuição, R$ 1,8 bilhão ao setor de gás natural e R$ 1,6 bilhão à inovação e TI. A empresa reforçou o seu compromisso de focar os seus investimentos em Minas Gerais, principalmente na geração, transmissão e distribuição de energia.

Lula e Prates inauguram nova fase do refino no Brasil

O Luiz Inácio Lula da Silva foi recebido ontem (18/1) pelo presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, na Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Ipojuca, Pernambuco, para a retomada das obras na refinaria.

Mais do que ampliar a capacidade de produção da unidade, o evento marca o retorno dos investimentos da Petrobras em refino, que poderão contribuir, de forma rentável, para tornar o país autossuficiente na produção de combustíveis. Nos próximos cinco anos, a Petrobras vai investir US$ 17 bilhões (R$ 84 bilhões) em projetos de refino, transporte e comercialização em diversas unidades do Brasil para ampliar sua capacidade de produção de diesel e aumentar gradualmente a oferta de produtos para mercado de baixo carbono. A previsão para conclusão da obra na RNEST é 2028. (Agência Petrobras)

Ao retomar refinaria, Lula justifica calote da Venezuela e ataca Lava Jato

Ao relançar a Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco, o presidente Lula (PT) falou sobre o calote da Venezuela durante o seu primeiro mandato e criticou a Operação Lava Jato pelos impactos na Petrobras ao longo dos anos.

De acordo com reportagem do portal UOL, o investimento seria conjunto, mas a Venezuela nunca participou das obras. As obras da refinaria foram iniciadas em 2005, juntamente com o ex-presidente venezuelano Hugo Chávez, morto em 2013. Para o Tribunal de Contas da União (TCU), a indefinição gerou prejuízos à Petrobras, que nega, e a refinaria recebeu o título de "mais cara do mundo", com custo de quase R$ 100 bilhões.

A reportagem ressalta, ainda, que Lula admitiu que o venezuelano, seu aliado político, "nunca colocou um centavo", mas não se mostrou arrependido, apesar do atraso na construção. O objetivo, segundo ele, era fazer uma parceria com o país vizinho para que se refinasse o petróleo brasileiro e venezuelano, mas as estatais dos dois países não concordavam nos termos de colaboração.

O presidente Lula disse que a construção bancada apenas pela Petrobras acabou sendo a melhor opção. "A Venezuela tem um petróleo 8API, muito pesado. A gente teria de fazer quase duas refinarias: a nossa e um reparador para afinar o petróleo deles. Então, fizemos sozinhos a nossa refinaria, a gente vai fazer com nossos erros e nossos acertos", afirmou.

3R Petroleum confirma recebimento de carta com proposta da Maha, que vê “profundo valor em ativos”

A 3R Petroleum confirmou que a Maha Energy assinou instrumentos derivativos com liquidação financeira equivalentes a 11.999.248 ações ordinárias, o equivalente a 5% do total. A Maha realizaou teleconferência nesta quinta-feira (18), às 10h30 (horário de Brasília), para detalhar a operação.

A empresa também confirmou o recebimento de carta em que a companhia sueca propõe ao seu conselho a segregação dos ativos de exploração de petróleo e gás em terra e marítimos, visando redução de custos e ganhos de eficiência.

“A companhia analisará o conteúdo da carta e adianta que manterá sua atual estratégia de negócios, bem como manterá seus investidores e o mercado em geral devidamente informados”, afirma a 3R, em comunicado. (Valor Econômico)

Entregue a primeira etapa de implantação da usina fotovoltaica flutuante da represa Billings

A primeira etapa de implantação da usina fotovoltaica flutuante (UFF Araucária), na represa Billings (SP), foi entregue pelo governo de São Paulo, na última quarta-feira (17/1). Com 10,5 mil placas sobre a lâmina d'água e investimento inicial de R$ 30 milhões, a planta tem capacidade para produzir até 10 GWh por ano a partir da matriz solar, o equivalente ao consumo de 4 mil residências.

A usina é um dos principais projetos de desenvolvimento de energia sustentável em São Paulo e foi implementada sob coordenação da Secretaria de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística. A conclusão está prevista para o final de 2025, com a entrega de outros 75 MW de energia renovável e investimento de R$ 450 milhões. (Portal Ipesi)

PANORAMA DA MÍDIA

Folha de S. Paulo: A conclusão das obras da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, vai custar à Petrobras entre R$ 6 bilhões e R$ 8 bilhões, afirmou nesta quinta-feira (18/1) o presidente da estatal, Jean Paul Prates. O valor final, disse ele, depende ainda da conclusão das licitações.

**

Valor Econômico: O governo federal gastou quase R$ 395 bilhões, o equivalente a 3,95% do PIB, nos 12 meses até novembro de 2023 para bancar o déficit com o pagamento de aposentadorias e pensões de trabalhadores da iniciativa privada, servidores públicos e militares. Em relação a igual período do ano anterior, a alta foi de 8%.

**

O Globo: O governo prepara um conjunto de medidas para ajudar companhias aéreas, que amargam prejuízos e acumulam dívidas desde a pandemia de Covid-19, que aterrou aviões e reduziu as receitas do setor. O pacote em negociação com as empresas inclui o abatimento de dívidas regulatórias — como tarifas aeroportuárias —, renegociação de débitos tributários e uma linha de crédito via BNDES.

**

O Estado de S. Paulo: Pela primeira vez, uma ação da Polícia Federal sobre os atos golpistas de 8 de janeiro de 2023 atingiu um membro do Congresso. O deputado federal Carlos Jordy (PL-RJ) foi alvo da 24ª fase da Operação Lesa Pátria, contra pessoas que “planejaram, financiaram e incitaram atos antidemocráticos ocorridos entre outubro de 2022 e o início de 2023 no interior do Rio de Janeiro”.