Alckmin descarta risco fiscal e diz que política industrial pode superar R$ 300 bilhões – Edição do Dia

Thereza Martins

Autor

Thereza Martins

Publicado

26/Jan/2024 10:29 BRT

Categoria

MegaExpresso

Em entrevista ao Valor Econômico, o vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (Mdic), Geraldo Alckmin (PSB), afirmou que a nova política industrial poderá ter até mais do que os R$ 300 bilhões previstos inicialmente.

Contrariado com as críticas de que o plano Nova Indústria Brasil (NIB) colocaria em xeque o equilíbrio das contas públicas, ele desafiou: “Ninguém tem mais compromisso com a responsabilidade fiscal do que eu”.

O titular do Mdic observou que o programa contempla cerca de R$ 75 bilhões por ano para a revitalização da indústria. “Se puder crescer, ótimo”, ponderou, em tom de otimismo. Mas ele ressaltou que o plano não terá custos fiscais além dos que já estavam previstos no Orçamento. Mesmo que o programa seja expandido, o governo federal não realizará aportes no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O Valor explica que, na segunda-feira (22/1), quando o plano foi anunciado, o mercado reagiu mal. O temor era de que as medidas levassem a uma piora das contas públicas, repetindo o que ocorreu entre meados do segundo mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) até o fim do mandato de Dilma Rousseff (PT). Outro temor de diversos economistas – a possível interferência da nova política industrial no ciclo de cortes da taxa básica de juros, a Selic – também foi rechaçado pelo vice-presidente.

“Queremos que os juros sejam mais baratos para todo mundo”, assegurou. Alckmin citou como exemplo de “medida inteligente” e que “não tem dinheiro público” o financiamento para exportações realizado em dólar pelo BNDES.

Petrobras deve aprovar hoje (26) indicado do governo para o conselho de administração

O jornal O Globo informa que o conselho de administração da Petrobras deve aprovar nesta sexta-feira (26/1) o nome de Renato Galuppo, indicado pelo governo para um dos cargos vagos como conselheiro da companhia.

De acordo com a reportagem, a indicação do advogado (que irá substituir Efrain Cruz, ex-secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia) faz parte da estratégia do titular da pasta, Alexandre Silveira, de ampliar a sua influência dentro da empresa, num contexto de embates com o presidente da estatal, Jean Paul Prates.

Galuppo chegou a ser indicado no ano passado, mas teve o nome vetado por ter ligação com um partido político. Agora, o nome de Galuppo foi aprovado pelas instâncias internas de governança.

Quatro trabalhadores ficam feridos após explosão na Refinaria Abreu e Lima, da Petrobras

A Petrobras informou no início da noite de ontem (25/1) que um acidente em um tanque de petróleo na Refinaria Abreu e Lima (Rnest) deixou quatro trabalhadores feridos. Segundo a estatal, a ocorrência, durante uma atividade de manutenção, envolveu um “fagulhamento seguido de chama, rapidamente controlada”.

Os trabalhadores atingidos foram atendidos e encaminhados para avaliação médica externa. As causas serão investigadas e as unidades de produção da Refinaria operam normalmente, sem outros impactos, segundo a companhia.

O Sindicato dos Trabalhadores na Indústria do Petróleo e Gás Natural de Pernambuco e da Paraíba (Sindipetro-PE/PB) informou que os trabalhadores tiveram queimaduras de primeiro e segundo graus, além de escoriações. (Valor Econômico)

Um vídeo publicado pelo portal G1 mostra as chamas subindo no momento da explosão. O acidente aconteceu exatamente uma semana depois de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva visitar a refinaria e anunciar a retomada de obras na unidade.

Às vésperas de decisão sobre comando da Vale, comitê que avalia o atual presidente da mineradora se reúne

A sucessão do CEO da Vale, Eduardo Bartolomeo, que está em fim de mandato, tem sido tema de reportagens da imprensa. O jornal O Globo informou, em sua edição de ontem (25/1), que o Comitê de Pessoas e Remuneração da companhia, formado por um grupo com quatro do total de 13 membros do Conselho de Administração, terá uma reunião para tratar do assunto.

A reportagem ressalta que desde o início do novo governo Lula, no ano passado, conversas de bastidores dão conta de que o Planalto gostaria de fazer do ex-ministro Guido Mantega o substituto de Bartolomeo, mas o atual CEO já declarou publicamente que quer permanecer.

Conforme a política de sucessão da empresa, o Comitê de Pessoas e Remuneração é responsável por "conduzir o processo de avaliação e/ou sucessão" do CEO e por "emitir recomendação para deliberação" do Conselho. A decisão final sobre a renovação do contrato de Bartolomeo ou sua substituição será tomada pelo Conselho como um todo, em votação, na semana que vem.

Governo Lula pressiona para colocar Guido Mantega na presidência da Vale

Reportagem do jornal O Estado de S. Paulo indica que o governo federal tem atuado na articulação para colocar o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega (2006-2014) no comando da Vale. De acordo com a reportagem, o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, telefonou para conselheiros da empresa na última quarta-feira (24/1) para defender que o comitê de acionistas escolha o indicado do presidente Lula para a presidência da companhia.

O grupo deverá se reunir na próxima semana, para deliberar sobre a sucessão na mineradora. A informação foi revelada pelo jornal O Globo e confirmada pelo Estadão com um conselheiro. Procurado, Silveira não se manifestou.

Ponte Nova quer ancorar importação de gás boliviano em térmica e indústrias

A Agência EPBR informa que a Ponte Nova Comercializadora de Gás recebeu, este mês, sua primeira autorização da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para importação de gás natural da Bolívia, de olho no desenvolvimento de um novo projeto termelétrico. De acordo com a reportagem, o plano é ancorar, na usina, um volume para trazer gás a preços competitivos também para clientes industriais.

A empresa é o braço de comercialização de gás da desenvolvedora de projetos Ponte Nova Energia e foi autorizada a importar 4 milhões de m³/dia – o volume de fato a ser importado dependerá, ao final, da demanda que a companhia conseguirá desenvolver. A comercializadora está atenta a oportunidades no Sudeste e Centro-Oeste, com foco no Mato Grosso do Sul, por onde chega o gás da Bolívia.

Distribuidoras de energia promoveram mais de 20 revisões tarifárias em 2023

Análise feita por profissionais da Volt Robotics, durante transmissão ao vivo do Canal Solar, na última terça-feira (23), indica que a conta de luz dos consumidores brasileiros registou aumentos significativos em 2023. Um dos fatores que ajudou a encarecer as faturas residenciais foram as revisões tarifárias periódicas praticadas pelas distribuidoras de energia elétrica.

De acordo com a análise apresentada, foram 21 revisões tarifárias realizadas no período, num processo que (diferentemente do reajuste tarifário) ocorre a cada quatro anos e, normalmente, podem afetar consideravelmente o valor da conta de luz.

A Volt Robotics é especialista no uso de ciência de dados e sistemas inteligentes para confecção de estudos e análise de gestão no setor de energia.

Copel: Temporais provocaram queda de 5,6 mil postes de energia no Paraná em 2023

Em 2023, o Paraná enfrentou 24 temporais de grandes proporções, o maior número no estado no período de um ano, de acordo com informações da Agência Estadual de Notícias.

Os temporais provocaram danos graves à rede elétrica, como a quebra de 5.637 postes da rede da Copel, uma média de 15 por dia. “Em 2023 nós trabalhamos intensamente para reconstruir parte da rede destruída por temporais e para minimizar os impactos sobre o fornecimento de energia à população”, explica a superintendente de Manutenção da Copel, Andrea Bertolin.

De acordo com o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), em 2023 foram registrados 3.935 episódios de rajadas de ventos acima de 50 km/h no Paraná, um aumento de 14% em relação a 2022 e de 34,8% na comparação a 2021.

Brasilienses ficaram, em média, sete horas sem energia elétrica em 2023

Cada morador de Brasília ficou ao menos sete horas sem energia elétrica e passou por cinco interrupções do serviço de fornecimento de energia ao longo do ano de 2023. Os dados são da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), e correspondem de janeiro a novembro do ano passado, tanto para moradias quanto para os comércios no Distrito Federal.

O número é próximo, porém inferior à média nacional, que corresponde a nove horas sem eletricidade por brasileiro. Nos últimos anos, houve uma redução do tempo que os brasilienses ficaram sem energia elétrica.

Em 2019, foram 8,63 horas por morador do Distrito Federal; em 2020 foram 8,27 horas; em 2021, 7,64 horas e em 7,63 horas em 2022. (portal Metrópoles)

Após repercussão negativa na imprensa, Light retira postes instalados na cabeceira da pista do aeroporto do Galeão

Dois novos postes que haviam sido colocados em frente a uma das cabeceiras do Aeroporto Internacional Antônio Calos Jobim, o Galeão, na Ilha do Governador, foram removidos na quarta-feira (24/1). Os equipamentos, que fazem parte de uma obra emergencial da Light, tinham sido instalados no fim de semana.

Na terça-feira, como a reportagem do jornal O Globo mostrou, a operação de pouso e decolagem teve que ser restrita a duas das quatro cabeceiras existentes no aeroporto, por medida de segurança. A Light informou que decidiu fazer "um pequeno ajuste no traçado da instalação dos postes e o trecho foi convertido para rede subterrânea". (O Globo)

Fazenda descarta isenção fiscal sobre combustível de aviação

Integrantes do Ministério da Fazenda afirmam que um eventual desconto nos preços do querosene de aviação (QAV) para companhias aéreas não deve decorrer de isenções fiscais, apesar da promessa de outros setores do governo, como o Ministério de Portos e Aeroportos, de socorrer aéreas em crise como a Gol. (O Globo)

PANORAMA DA MÍDIA

Valor Econômico: Varejo de bens duráveis reage e pode se beneficiar da queda dos juros em 2024. Após desaceleração verificada desde 2022, o varejo de bens duráveis, mais dependente do crédito, esboçou reação no fim do ano passado e dá sinais de que pode ter resultados melhores em 2024. Dados do Instituto Brasileiro de Economia (FGV Ibre) mostram que, em novembro, o chamado varejo-crédito, que inclui móveis, eletrodomésticos e veículos, subiu 3,3% em comparação a outubro. O varejo-renda, mais dependente do rendimento das famílias e que inclui alimentos, medicamentos e combustíveis, avançou 0,4% em igual período.

**

O Estado de S. Paulo: Lula critica Vale e Gleise faz defesa de Mantega; ações caem. As manifestações ocorrem no momento em que o Planalto tenta conduzir o ex-ministro ao comando da mineradora.

**

O principal destaque da edição desta sexta-feira (26/1) dos jornais Folha de S. Paulo e O Globo são os mandados de busca e apreensão cumpridos ontem (25/1) pela Polícia Federal numa investigação sobre o suposto uso político da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) contra adversários políticos do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).