ANP estuda incluir captura de carbono na cadeia de óleo e gás

Maria Clara Machado

Autor

Maria Clara Machado

Publicado

24/Nov/2023 11:13 BRT

A diretoria da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou a elaboração de estudo regulatório para a inserção das atividades de captura, uso e armazenamento de carbono (CCUS) na cadeia de óleo, gás e biocombustíveis.

O estudo mapeará as áreas técnicas e regulações da ANP envolvidas, identificando necessidades de alterações e do desenvolvimento de novos dispositivos. O prazo para conclusão é de 120 dias.

A atividade de CCUS é vista pelas empresas de óleo e gás como importante rota para reduzir e compensar as emissões de carbono associadas ao petróleo. Além disso, há projetos de lei no Congresso Nacional que, se aprovados, deverão atribuir a competência regulatória da atividade à ANP. Um destes projetos é o Combustível do Futuro, enviado ao Congresso pelo Executivo em setembro.

“A ANP procura se antecipar ao marco legal, reconhecendo a importância do tema para a descarbonização da indústria e a necessidade de adotar medidas para recepcionar a atividade no arcabouço regulatório da Agência”, informou em nota a ANP.

 

Leia também:

Compensar demanda de petróleo com captura de carbono demandaria 26 mil TW/h

Entenda os caminhos e o papel do CCUS até a efetiva mitigação de gás carbônico