Planejamento

ONS projeta redução de 0,3% da carga no SIN para o mês de março

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) reduziu em 0,3% a previsão de sua última revisão para a carga no Sistema Interligado Nacional (SIN) de março de 2023, na comparação com o mesmo período do ano anterior. O crescimento para 74.697 MW médios é dado em função das temperaturas mais elevadas na primeira quinzena do mês nos subsistemas Sudeste/Centro-Oeste e Sul.

ONS projeta redução de 0,3% da carga no SIN para o mês de março

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) reduziu em 0,3% a previsão de sua última revisão para a carga no Sistema Interligado Nacional (SIN) de março de 2023, na comparação com o mesmo período do ano anterior. O crescimento para 74.697 MW médios é dado em função das temperaturas mais elevadas na primeira quinzena do mês nos subsistemas Sudeste/Centro-Oeste e Sul.

O número foi divulgado nesta quinta-feira, 30 de março, no primeiro dia do Programa Mensal da Operação (PMO) do ONS. Para abril, a projeção é de um crescimento de 3,6 % da carga, para 73.181 MW médios, e acima do previsto na última reunião do PMO, de 2,5%. Em maio, a perspectiva é de um fechamento de 70.309 MW médios, alta de 4%.

Mesmo com temperaturas mais elevadas na primeira quinzena de março, principalmente em São Paulo e no Rio de Janeiro, e da retomada da economia, o submercado Sudeste/Centro-Oeste deve fechar o mês de março com uma queda de 3,7% da carga, na comparação com o mesmo mês de 2022, alcançando 42.032 MW médios. Segundo o ONS, a redução ocorre porque o mês de março de 2022 também contou com temperaturas extremamente elevadas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para os próximos dois meses, a expectativa é que a alta nas temperaturas se mantenha, levando a um crescimento de 0,2% em abril (41.798 MW médios) e de 2,2% em maio (39.785 MW médios).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assim como o Sudeste/Centro-Oeste, com temperaturas elevadas nas primeiras semanas operativas, e principalmente em Porto Alegre, a carga no subsistema Sul deve fechar o mês de março com alta de 4,3%, resultando em 13.657 MW médios, na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Para abril, a expectativa é de uma alta de 12,7% (13.031 MW médios), e para maio, de 6,2% (12.250 MW médios).

Para o subsistema Nordeste, o Operador projeta uma redução da carga de 0,7% em março, alcançando 11.498 MW médios. Para os próximos dois meses, a expectativa é que a carga termine abril em 11.602 MW médios (alta de 1,1%), e em maio, de 11.478 MW médios (alta de 3,2%)

Já no submercado Norte, com o retorno de um consumidor livre do setor de metalurgia, a carga cresceu 16,2%, para 6.650 MW médios. Em abril, a expectativa é de uma alta de 14,8%, para 6.750 MW médios, enquanto para maio, a alta projetada é de 12,4%, para 6.796 MW médios.