Empresas

Primeira fase da Rnest será entregue em 2024, com comercialização de novos produtos

A retomada das obras da Refinaria Abreu e Lima (Rnest), anunciada em junho de 2023, já está em andamento e deve ter sua primeira fase concluída em 2024.

Primeira fase da Rnest será entregue em 2024, com comercialização de novos produtos

A retomada das obras da Refinaria Abreu e Lima (Rnest), anunciada em junho de 2023, já está em andamento e deve ter sua primeira fase concluída em 2024.

Nesta etapa, será finalizada a primeira unidade Snox do refino brasileiro, que será responsável por reduzir as emissões de óxido de enxofre (SOx) e óxido de nitrogênio (NOx), transformando-os em produtos comerciais. A unidade Snox é uma das etapas que já haviam sido iniciadas em 2015, quando as obras foram paralisadas por suspeita de superfaturamento em meio às investigações da Operação Lava-Jato.

Na segunda etapa, cuja conclusão é prevista para o primeiro trimestre de 2025, a Petrobras planeja concluir a renovação (revamp) do Trem 1 da Rnest, que possibilitará o aumento na capacidade de refino dos atuais 100 mil barris por dia para 130 mil barris por dia. Para isso, serão realizadas adequações na unidade de destilação atmosférica e coqueamento retardado. Além do aumento na carga, são esperados melhor escoamento de produtos leves e maior capacidade de processamento de petróleo do pré-sal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A terceira etapa será concluída em 2028, com a implantação completa do Trem 2 da Rnest. Esta estrutura deve elevar a capacidade de refino para 260 mil barris por dia, com acréscimo na produção de diesel S10 na ordem de 13 milhões de litros por dia. Em 2027, entretanto, deve ocorrer o início da partida do Trem 2, com entregas parciais até a conclusão do projeto, em 2028. As obras do Trem 2 devem ter início no segundo semestre de 2024.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O investimento nas obras da Rnest não foi informado pela Petrobras. Segundo a gerente-executiva de Projetos de Desenvolvimento da Produção da Petrobras, Mariana Cavassin, as propostas de fornecedores para o Trem 2 serão recebidas no final de fevereiro pela companhia, e a divulgação da estimativa de investimentos poderia impactar o processo.

O plano estratégico 2024-2028 da Petrobras prevê investimento de US$ 17 bilhões em refino, transporte e comercialização no Brasil. Em nota, o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, afirmou que, considerando todos os projetos previstos, a estimativa de aumento na produção de diesel é de 40% nos próximos anos.

Jean Paul Prates e o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, devem participar de cerimônia de retomada de investimentos na Rnest nesta quinta-feira, 18 de janeiro. Na ocasião também deve ser lançado o Programa Autonomia e Renda, da Petrobras.

Geração de empregos e capacitação de mão-de-obra 

Estimativas da Petrobras apontam que as obras na Rnest devem gerar 30 mil empregos, com pico de atividades em 2025. Para atender a esta demanda, a empresa e o governo de Pernambuco pretendem atuar em duas frentes. A primeira é localizar pessoas que trabalharam nas obras da refinaria antes da paralisação, quando houve pico de 50 mil trabalhadores.

Além disso, a Petrobras prepara o Programa Autonomia e Renda, que vai oferecer 19 mil vagas em cursos de capacitação profissional a pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica. Os participantes receberão bolsa-auxílio mensal entre R$ 660 e R$ 858.

Os selecionados serão treinados para atuação no setor de energia, em localidades da área de abrangência das operações da Petrobras e com vistas a contribuir com a implementação do Plano Estratégico 2024 – 2028.

Os estados a serem atendidos na primeira fase do programa são Pernambuco, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo, sendo que 37% das vagas serão destinadas para Pernambuco. A primeira fase do Programa conta com parceria do Sesi-Senai e Institutos Federais de Tecnologia, Ciência e Inovação.