Cade aprova opção de compra da EDF Renewables em eólicas da Casa dos Ventos

MegaWhat

Autor

MegaWhat

Publicado

29/Nov/2023 17:47 BRT

O Conselho de Defesa Econômica (Cade) aprovou, sem restrições, a opção de direto de compra das SPEs Ventos de Santa Diana Energia e Ventos de Santo Adalberto Energias Renováveis, atualmente detidas pelo grupo Casa dos Ventos, pela EDF Renewables.

Localizadas na Bahia, as Sociedades de Propósito Específico abrangem projetos eólicos em fase de desenvolvimento, conforme informações enviadas pela Casa dos Ventos ao Conselho. A empresa também declarou que a transação converge com sua estratégia de expansão de atuação no desenvolvimento, construção, operação e manutenção de parques eólicos para geração de energia elétrica. 

Já a EDF Renewables informou ao Cade que a compra dos parques resultará na ampliação do seu portfólio de investimentos em energia renovável no Brasil.  

O aval consta na edição desta quarta-feira, 29 de novembro, do Diário Oficial da União (DOU). 

Aneel 

Também foi publicada no Diário a liberação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para a plena operação comercial das UFVs São João 1 São João 7, que somam 210 MW de capacidade instalada. Desenvolvidas pela Comerc Energia, as usinas estão localizadas no município de Paracatu, em Minas Gerais. 

No município baiano de Itaguaçu da Bahia, recebeu aval para iniciar operação comercial a UG3, de 6,2 MW, da eólica Ventos de São Vitor 12

Teste 

Também da fonte eólica, mas para operação em teste, a Aneel liberou as UG1 a UG5, totalizando 22,5 MW, da eólica Ventos de Santo Antonio 01, instalada na cidade de São José do Campestre, no Rio Grande do Norte.  

No Ceará, no município de Jaguaretama, as UFVs Panatí 1 e Panatí 2, poderão iniciar a plena operação em teste, enquanto em Pernambuco, na cidade Goiana, recebeu o mesmo aval a UFV Maravilhas I (27 MW). No Maranhão, no município de Barão de Grajaú, a UFV Jorge Batista & Cia poderá testar a UG1, de 0,4 MW. 

Mudanças 

Alterações nas características técnicas da UTE Angélica também foram aprovadas pela Aneel. O projeto passará a se conectar na subestação Ivinhema.  

Indeferimentos 

Foram indeferidos os pedidos de autorização para implantação e exploração das UFVs Solar Irapuru 100, XX e X a XV.