Brasil pode se tornar Arábia Saudita das renováveis em dez anos, diz Lula

Poliana Souto

Autor

Poliana Souto

Publicado

29/Nov/2023 15:12 BRT

Nos próximos dez anos, o Brasil se tornará a Arábia Saudita das renováveis, afirmou presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em discurso em Riad, capital da Arábia Saudita, nesta quarta-feira, 29 de novembro.

"Eu quero aproveitar esse fórum, em novembro de 2023, para dizer aqui na Arábia Saudita que daqui a dez anos o mundo vai dizer que se a Arábia Saudita é o país mais importante na produção de petróleo e de gás, daqui a dez anos o Brasil será chamado a Arábia Saudita da energia verde, da energia renovável. Porque é para isso que estamos trabalhando”, disse o mandatário brasileiro.

>> MME e Arábia Saudita assinam acordo sobre transição energética. 

Segundo o presidente brasileiro, o governo fará “todo o possível” para fazer com que o país se torne o centro do mundo na produção de energia limpa, através da transição energética e pelos compromissos ambientais, mediante controle do desmatamento da Amazônia até o patamar zero em 2030.

Lula também aproveitou para defender o fortalecimento do comércio entre os dois países, sugerindo, por exemplo, um acordo cruzado entre a Petrobras e as empresas árabes no setor de fertilizantes, e o aumento de investimentos de empresários brasileiros em países árabes.

“Não é apenas saber quanto que os fundos da Arábia Saudita podem investir no Brasil. Mas é saber também quanto que os empresários brasileiros podem investir na Arábia Saudita. É essa troca e esse novo jeito de fazer política externa que pode mudar um pouco a face do comércio mundial”, afirmou.

Articulações 

Às vésperas da 28ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP 28), que acontece entre os dias 30 de novembro e 12 de dezembro, Lula está visitando países árabes para articular parcerias bilaterais.

Nesta terça-feira, Lula participou de uma reunião com mais de duas horas com o príncipe herdeiro e primeiro-ministro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, a quem convidou para uma visita oficial ao Brasil. Ministros e empresários dos dois países também tiveram momentos para conversar sobre oportunidades de negócios.

>> Brasil e Arábia formarão grupo para atrair US$ 10 bi em diversas áreas, incluindo energia.

Segundo nota do governo federal, nas conversas, o presidente enfatizou o potencial da Arábia Saudita, que é uma das novas integrantes do Brics, no fortalecimento do banco do bloco, o que poderia ajudar a mudar a face dos bancos multilaterais, aumento o financiamento de países desenvolvimentos em regiões subdesenvolvidas, segundo nota do governo federal.