Vibra, Ipiranga e Origem Energia vencem leilão de terminais portuários em Alagoas

MegaWhat

Autor

MegaWhat

Publicado

14/Ago/2023 13:08 BRT

As empresas Vibra Energia, Ipiranga, Origem Energia Canoas e Aba foram as vencedoras do leilão de terminais portuários promovido pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) na sexta-feira, 11 de agosto. Cada uma das empresas arrematou uma das áreas oferecidas no Porto de Maceió, em Alagoas, destinadas à movimentação e armazenagem de granéis líquidos, principalmente combustíveis.  

No total, foram arrecadados pelo governo R$ 208,1 milhões em outorgas que serão pagas pelas empresas, que irão ainda fazer investimentos de R$ 105,1 milhões nos 25 anos das concessões.

Da gestora Prisma Capital, a Origem Energia Canoas arrematou o terminal de movimentação e armazenamento de granéis líquidos MAC 11A, por um valor de outorga de R$ 41 milhões, ágio de 171,2% ante o mínimo estabelecido pelo edital. São previstos cerca de R$ 46,5 milhões em investimentos no local.  

Com uma oferta de R$ 60 milhões, ante um valor mínimo que era de R$ 1,00,  Vibra Energia venceu a Ipiranga na disputa pelo terminal alagoano MAC 11, voltado à movimentação e estocagem, principalmente, de combustíveis e petróleo. Além da outorga, a companhia terá que investir cerca de R$ 21 milhões na área arrematada.

Por sua vez, a Ipiranga ganhou a licitação do terminal MAC12, também de granéis líquidos, por R$ 107 milhões, também ante um valor mínimo de R$ 1,00. O investimento previsto é de R$ 37,6 milhões.

A Aba Infraestrutura e Logística levou um Terminal Marítimo de Passageiros (TMP) que também foi licitado, por R$ 100 mil, e se comprometeu com investimentos de R$ 3,2 milhões.

Os novos contratos devem substituir as operações já existentes no porto de Maceió. Atualmente, a área licitada é operada pela Transpetro, em um terminal, e por um consórcio de distribuidoras  (Petrobras, Ipiranga e Raízen) no outro terminal. Agora, serão três terminais, além do TMP. 

Venda de ativo no Maranhão

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, sem restrições, a venda pela Vibra Energia de parte da sua participação no Pool de Açailândia para a Ipiranga, que já é sócia no empreendimento. Os valores da transação não foram divulgados.

O Pool de Açailândia é uma base compartilhada que tem por objetivo o recebimento, armazenagem e expedição de produtos derivados de petróleo e biocombustíveis, situada no município de Açailândia, Maranhão.

A Vibra vendeu 25% do terreno e 11,55% dos equipamentos que constituem o Pool. A Ipiranga já tem 25% do imóvel e 48,05% dos equipamentos.

Além das duas empresas, um consórcio formado pelas empresas Petróleo Sabbá e Raízen soma 40,40% dos equipamentos. Ao fim da operação aprovada pelo Cade, o Pool terá como sócios Ipiranga (59,60%) e Petróleo Sabbá e Raízen, com 40,4%.

Para justificar a operação junto ao Cade, a Vibra Energia afirmou que se trata de boa oportunidade de realocação de recursos financeiros, sem qualquer impacto na sua participação de mercado, considerando que o grupo Vibra Energia detém outras bases localizadas no Maranhão capazes de atender sua demanda. 

Já a Ipiranga destacou que a operação está em linha com os projetos de expansão regional da companhia.