CDPQ expande participação no setor de transmissão do Brasil e compra Intesa da Equatorial

Poliana Souto

Autor

Poliana Souto

Publicado

01/Nov/2023 13:30 BRT

A Equatorial Energia vendeu 100% de seu capital social na Integração Transmissora de Energia (Intesa), companhia que soma 695 quilômetros de rede de transmissão entre os estados de Tocantins e Goiás, para o fundo de pensão canadense Caisse de dépot et placement du Québec (CDPQ), por até R$ 714 milhões.  

Segundo a Equatorial Energia, a operação não representa a saída do grupo do segmento de transmissão, mas deve permitir um avanço na aceleração da sua trajetória de desalavancagem, “adequando sua estrutura de capital a eventuais oportunidades nas avenidas de geração de valor em que atua”. 

Esse é o segundo investimento do CDPQ no setor de transmissão na América Latina dos últimos 18 meses. Em 2022, o grupo adquiriu da italiana Terna quase 1.100 quilômetros em linhas de transmissão entre o Brasil e o Uruguai - rede que agora faz parte de sua plataforma de energia Verene Energia. 

“Estamos promovendo e acelerando nosso setor de energias renováveis, e os ativos de transmissão como o Intesa funcionam como verdadeiros. É por isso que [o setor] está no centro da nossa estratégia de investimento na América Latina, especialmente no Brasil, já que o país pretende conectar um número crescente de projetos de energia de baixas emissões carbono", afirma Emmanuel Jaclot, vice-presidente e chefe de Infraestrutura da CDPQ.

O negócio envolve um valor de até R$ 714 milhões, considerando a assunção de R$ 318 milhões em dívida líquida e o desembolso do fundo de pensão de até R$ 396 milhões, sendo R$ 319 milhões pagos no fechamento da operação e o restante atrelado a metas de desempenho do empreendimento (earn out).

 A conclusão da Operação está sujeita ao cumprimento de determinadas condições precedentes usuais a este tipo de transação, incluindo, entre outras, a aprovação do Conselho Administrativo de Defesa (Cade) e da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).