EDP vai fornecer para PMEs a partir de complexo de GD solar em Tremembé

MegaWhat

Autor

MegaWhat

Publicado

07/Dez/2023 13:10 BRT

Categoria

Solar

A EDP inaugurou nesta quarta-feira, 6 de dezembro, um complexo solar de geração distribuída em Tremembé, São Paulo. Com capacidade instalada total de 3,82 MWp, o empreendimento é composto por três usinas solares de aproximadamente 1,27 MWp cada e contou com investimento de R$ 19,1 milhões.

As usinas ocupam uma área de 10 hectares, com 5.832 placas solares de tecnologia bifacial e sua geração já está contratada para atender a pequenas e médias empresas no Vale do Paraíba. Como referência, o complexo seria capaz de abastecer cerca de 3,4 mil residências com consumo médio de 175kWh/mês.

Segundo a empresa, a construção do complexo faz parte de sua estratégia de crescimento em solar no Brasil, com foco no segmento de geração distribuída. O anúncio foi feito em evento com a presença do CEO da EDP Brasil, João Marques da Cruz, e do vice-governador do estado de São Paulo, Felício Ramuth.

“Queremos proporcionar a descarbonização da economia e estamos focados em tornar a energia limpa mais acessível e, assim, contribuir para que a economia e negócios de pequenas, médias e grandes empresas sejam mais sustentáveis. Com as usinas solares no estado de SP, estamos possibilitando a transição energética na região”, ressaltou Marques da Cruz.

O projeto vai ao encontro da estratégia da EDP que espera atingir 530 MWp de capacidade instalada em geração solar distribuída e investimentos de R$ 2,3 bilhões até 2026. Atualmente, a companhia tem 87 usinas solares de geração distribuída no país, sendo 48 já em operação. Apenas no estado de São Paulo, são 30 usinas, com investimento total de R$ 490 milhões, sendo que 13 estão em operação e 17 em construção.

Solar Digital

A EDP criou o Solar Digital, serviço de assinatura de energia solar que pode ser assinado de forma totalmente online pelo cliente e não requer investimento na instalação de placas solares nem alterações na rede elétrica. Podem aderir empresas que tenham uma fatura mensal de energia elétrica a partir de R$ 300 e a economia prevista é de 10%.

O programa já está disponível para empresas nos estados do Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo. Não há taxa de adesão, fidelidade de contrato ou custo de manutenção.