Transição energética exige aprimoramentos em governança antes, diz Gustavo Montezano

Publicado

03/Ago/2022 19:38 BRT

Sem aprimoramentos em governança, a transição energética não vai acontecer, disse Gustavo Montezano, presidente do BNDES. O executivo participou de um painel sobre o assunto nesta quarta-feira, 3 de agosto, no evento Expert, da XP, quando defendeu que a letra “G” da sigla ESG seja prioridade das empresas e dos líderes políticos do Brasil. Segundo ele, somente dessa forma, a transição energética poderá ocorrer com menor dificuldade.

Segundo Montezano, o país tem potencial para ser um líder mundial no mercado de renováveis, porém para entrar na frente da “corrida” mundial é necessário discutir mais regulamentação e menos corrupção.

“Estamos muito parados, temos potencial para ser líderes em tecnologia. Nesse caso de corrida climática, não tem nada pronto, temos que parar de esperar que tudo seja aprovado lá fora para só depois aprovar aqui dentro”.

O presidente do BNDES também defendeu a regulamentação do mercado de carbono no país. "Um mercado de carbono regulado, transparente e mensurável é uma vantagem competitiva para as companhias no Brasil."

Para o segundo semestre deste ano, o banco de fomento planeja realizar uma chamada pública para compra de R$ 50 milhões em créditos de carbono, a fim de que a instituição exerça papel de “formador e indutor desse mercado no Brasil”.

Também presente no evento, Gilson Finkeslsztain, presidente-executivo da B3, defendeu que não existe solução simples para acelerar a transição energética no Brasil, mas disse que o país tem potencial para assumir o protagonismo no mercado de energia renovável.

“No lado da regulação, temos uma longa estrada para seguir, e precisamos discutir leis. A B3 tem se envolvido bastante nessas discussões regulatórias, sabemos que não é algo que fique pronto amanhã, mas precisamos começar logo”, disse Finkeslztain.